quinta-feira, 11 de junho de 2009

Se gana y se pierde...


Desta vez vou falar dum tema que nem todos gostam, mas é mais forte do que eu...

Hoje(por ontem) me lembrei de que jogava a Selecção (Argentina) de futebol, e como não tenho televisão em casa(por opção), fui a ver o jogo num bar. Quando cheguei, já faltavam uns 20 minutos para que acabe o partido e o marcador estava 1:0 a favor da equipa anfitriã. Pedi uma imperial e me sentei a aguardar o milagre. Sim, um milagre, porque la Sele não corria, pá, graças aos mais de dois mil metros de altitude... Alguma dúvida?
Eu não estava sozinho, também lá estavam algumas pessoas, na sua maioria portugueses, e também um brasileiro que com alguma moderação estava a desfrutar da derrota argentina, gozando do jogo dos albicelestes.
- Argentchina não joga a nada, - dizia o brasileiro.
Olhe, olhe...
- Não joga, sim senhora, mas desperdiçou várias oportunidades no primeiro tempo, pá! O Carlitos Tevez até falhou um penalti - lhe contestava um português que simpatizava com os argentinos.
O brasileiro só sorria... O português continuava: “Na Argentina está o Maradona, o Armando Diego Maradona(textual). É o maiore, o maiore, o Armando Diego Maradona, o melhore de todos os tempos! Fez-lhes um golo com a mão aos ingleses, e o árbitro não o viu. Aonde olhava o arbitro!? Maradona...!
Os copos no bar são o máximo também.
O brasileiro não gostou nada daquelas afirmações, mas estando num campo adverso (Portugal ainda não é Brasil), não opinou, nem fez referência nenhuma ao não menos histórico Pele...
O tempo transcorria, ali chegou o 2 a 0....e pronto. Terminei a minha Impreial e “fui-me” embora, contente de ter ouvido semelhante diálogo de gente sábia.
E o jogo? O jogo é assim, se ganha e se perde. As vezes se empata. Mas... El Diego Armando Maradona está agora a descansar, esperemos que sem drogas, embora quem somos nós para o saber, nem o prever, nem o julgar.

Para terminar quero mencionar uma curiosidade. Desta vez é mais que sobre um paralelismo, é sobre a diferença entre o FUTEBOL e o XADREZ... O ouvi alguma vez no Club Argentino de Ajedrez:

No Futebol todos sabem, mas ninguém joga (Quantos milhões de habitantes são em Portugal? Tantos Directores técnicos são...)
No Xadrez todos jogam, mas...

Muchas gracias, y hasta luego.

3 comentários:

Rini Luyks disse...

Alberto, se calhar devias ter pedido (e bebido) mais uns "penaltis" para ajudar a Argentina, uma imperial não chega...
Mas espero que os "albicelestes" ainda se qualifiquem: um Mundial sem Argentina com Maradona (explosivo ou a chorar, tanto faz) no banco do treinador é muito mais impensável do que uma ausência de Portugal com estrelas mimadas e um treinador de sorriso amarelo que considera que no jogo contra Estónia (0-0 contra uma equipa número 100 e tal do mundo, meu Deus!) houve "períodos "brilhantes".
Brilhante é o jogo atacante da Inglaterra (sete vitórias!) e Holanda (sete vítorias, mas alguma sorte no grupo, Escócia e Noruega são menos fortes do que se esperava).

Reinato disse...

Rini, estou completamente de acordo com os teus comentários e Alberto, a tua comparação entre o xadrez e o futebol é muito engraçada. De resto, embora goste de futebol, às vezes farta-me tanta conversa à volta do mesmo, parece que é a coisa mais importante do mundo e que dele depende a sorte da humanidade. O futebol tal como o xadrez são fugas à nossa existência tantas vezes rodeada de aborrecimento e dôr, mas apenas isso, são motivos para passar um bom tempo e esquecer outras chatisses agora quando passam a ser mais importantes que a própria vida, ou que substituem a própria vida eu coloco-me de lado.
Mais ainda quando até no futebol os motivos para sorrir começam a escassear.

aleg disse...

Pois é, rapazes...
Nada é por acaso, nem o futebol :)
Por acaso é só o Nada mesmo.