quinta-feira, 4 de junho de 2009

Conhecer Alpiarça - " A Melhor Casta" (Armando Ferreira, 2005)




(Este post pode ser considerado como uma primeira preparação cultural para um match com convívio em Alpiarça entre a Casa do Xadrez e o GX Alekhine, será um encontro em oito tabuleiros na época estival, já anunciado, muito aguardado, mas ainda não marcado!)
Hoje fiz uma acção musical com crianças na pediatria do Hospital de Abrantes. Na ida de manhã optei pelo transporte público mais rápido (o Expresso), mas no regresso a Lisboa viajei numa camioneta lenta, primeiro pelas margens do Tejo até Chamusca, seguindo depois a Rota dos Vinhos do Ribatejo: Chamusca - Alpiarça - Almeirim, um belo percurso num autocarro que não leva mais de uma mão cheia de passageiros.
Em Alpiarça passámos pela Praça José Pinhão, perto da Igreja Paroquial. No entanto, desde o dia 25 de Abril 2005 este monumento tem que disputar a atenção dos transeuntes com a estátua "A Melhor Casta", obra do escultor Armando Ferreira.
Este artista local tem mais obras da sua autoria espalhadas pelo concelho, mas nenhuma despertou tantas reacções na inauguração como esta. Obra admirada por muitos, mas também considerada "uma pouca vergonha" pela população mais idosa, não só pela nudez, mas também pela colocação e orientação em relação à Igreja (no entanto, observando atentamente as imagens aqui acima, penso que mesmo após uma rotação de 90 ou 180 graus, as objecções contra a estátua seriam as mesmas).
Armando Ferreira: "Faço esta alegoria ao vinho, com a criação desta estátua, onde não dispensei a figura "Mulher", porque encontro no seu todo uma corrente poderosa de energia.
Num gesto de espreguiçar para um novo dia, de sorriso aberto e confiante, ela desperta atenções apregoando "A Melhor Casta". A transparência das suas vestes tem como intenção representar todas as mulheres de todos os tempos, ligadas a temática vitivinícola.
Querendo o nu representar nesta alegoria ao vinho todas as mulheres, também é uma bandeira à conquista da sua própria liberdade, à sua beleza e ao seu encantamento vinhateiro por excelência agitado e maravilhoso"!
Belas palavras da boca do artista plástico (remunerado pela Câmara com uma não menos bela quantia de 70.000 euros).
O blogger "Sete mares", em jeito de legenda para a última fotografia, responde aos críticos: "Ao povoléu que tem andado num desatino, recomenda-se calma e abertura de espírito, que esta vida são dois dias e o ex-libris há-de levar muita gente à urbe. Ei-la pela rectaguarda do seu esplendor e beatificamente enquadrada."
Não posso concordar mais! Todos a Alpiarça!
Para quando então, caros Alekhinistas, o tão aguardado match Casa do Xadrez Alpiarça - GX Alekhine!?

4 comentários:

Reinato disse...

Rini,
Sem dúvida que bela casta!
Fora de brincadeiras, gosto bastante, quanto às bocas tipo pouca-vergonha, só podem ser por inveja, a beleza é para se ver, ou será que vamos que ter que vestir a menina…
Nunca entendi como é que a evocação do sexo pode ofender alguém, só se for à força da repressão produzida ao longo de muitos anos.
Desde tempos imemoriais o homem representou a beleza.
Quanto ao “match”, fins de Julho/Agosto estou de férias, mas se houver uma aberta, contém comigo.

Rini Luyks disse...

Quem não se ofende nada com a estátua é o blogue "Casa do Xadrez" que mencionou o post (ajudando assim à subida das nossas "audiências", obrigado!).
Lógico, aqueles felizardos podem dar todos os dias tantas voltinhas de 360 graus à "Casta" quantas quiserem...
Proponho a inclusão do blogue "Casa do Xadrez" nos nossos favoritos para facilitar a comunicação!?

aleg disse...

Preciosa obra, excelentes fotos!
Rini, há que reconhecer, tens jeito com a câmara. Parabéns!
Quanto ao match, por estes dois meses estarei concentrado no meu curso. No inicio de Agosto temos Campeonato da 2ª Divisão. Depois, pode ser.

Rini Luyks disse...

Obrigado, Alberto, mas as fotos não são minhas.
As primeiras duas décadas da minha vida foram impregnadas de um catolicismo severo e isso deixa marcas: eu nunca podia tirar estas fotografias sem tremer com a máquina, cheio de medo de ser fulminado por um relâmpago, saindo directamente do indicador de Deus himself!
As duas primeiras imagens estão no site da C.M. de Alpiarça, a última (uma blasfémia da primeira) é da autoria de um certo Pedro Laranjeira e está no blogue "Sete mares". Este Pedro arriscou bastante: podia ter sido linchado lá mesmo na praça por uma multidão de velhinhos com bengalas e guarda-chuvas em riste.