sábado, 23 de maio de 2009

Revista Portuguesa de Xadrez nº 4!?


Olhando para esta imagem (sem texto para acompanhar) no site da FPX penso que o novo número da revista RPX estará prestes a sair!
Dez meses(!) depois do nº 3, é verdade, mas uma das explicações deve ser o revés da demissão em Janeiro do editor MI Paulo Dias.
Agora fiquei curioso acerca do conteúdo, para já só há três frases na capa:
- Normas para Rúben Pereira e Ana Baptista nas Olimpíadas;
- Final do Torneio de Candidatos (deve ser um artigo sobre os planos da FIDE para mudar o cíclo do Campeonato do Mundo, anunciados nessas mesmas Olimpíadas em Dresden, Novembro 2008);
- Novo regime jurídico das Federações Desportivas.
Por agora mais nada, nem no site da FPX, nem no blogue da revista: http://revistapxadrez.blogs.sapo.pt/ .
É aguardar e espreitar a caixa de correio.
No entanto, a capa da revista eu já conhecia: é a imagem que usei há três semanas para anunciar o campeonato da nossa equipa na 2ª Divisão C!
Como costuma dizer o nosso contribuidor Alberto: "Nada é por acaso!"

8 comentários:

Renato Vasconcellos disse...

Rini, andas sempre à frente dos acontecimentos sendo dotado de uma capacidade premonitória invulgar, até metes medo :-)
Quanto à revista, sou assinante, e desde há algum tempo me pergunto o que seria feito da mesma, nem uma explicação, carta, e-mail, nada, uma clara falta de respeito por quem deu o seu dinheiro para a mesma.
Escuso-me a comentar mais, só me ocorre uma frase, assim não vamos lá...

Rini Luyks disse...

Pois, Renato, em Janeiro li o comunicado de demissão de Paulo Dias no blogue da revista (acima mencionado), ele agradeceu toda a gente (colaboradores, leitores, assinantes, FPX) e até achou que os "assinantes devem ser ressarcidos, no caso da revista não continuar".
Nesta situação pedi em Março à Federação como "indemnização" mais uns exemplares do último número da RPX (para dar a uns amigos na Holanda), mas Altino Costa assegurou-me que a revista ia continuar. Parece então verdade, só que com tanta irregularidade na edição nunca vai haver laços muito estreitos entre editores e leitores (já aconteceu muita coisa desde as Olimpíadas de 2008...).
Para já: esperar para ver e ver para crer.

Em relação à premonição, Renato, é caso para dizer: aqui há gato (do Alekhine)!
É sabido que os gatos têm o dom da premonição e até agora, nos poucos posts neste blogue com este nome, já houve algumas curiosidades...
Li uma história sobre um gato chamado Oscar. Ele não pertence a ninguém e vive num asilo para idosos na cidade de Providence(!!) nos Estados Unidos. O gato Oscar faz todos os dias a sua ronda pelo local, cheirando e observando os pacientes. Segundo a equipa do asilo ele tem um estranho modo de pressentir quem está prestes a morrer. Neste caso o gato sente-se ao lado do velhinho que costuma morrer dentro de quatro horas.
Agora os funcionários do asilo até já avisam a família quando vêem que Oscar está junto de um dos idosos!
Isto sim mete medo, brrr!

Rini Luyks disse...

...quer dizer, "o gato sente-se e senta-se" :)

Alberto Eggert disse...

Nada é por acaso!
Dogmático eu?
Talvez só experiente...

Renato Vasconcellos disse...

Rini, não quero ter nada a ver com esse gato, afasta para lá. O gato do Alekhine é bem simpático, só conta histórias e analisa partidas de xadrez.
Os animais tem sentidos muito avançados, alguns que são dificeis de entender, eu sou muito racional e na realidade acredito pouco no sobrenatural, contudo quando vocês dizem que nada é por acaso, podem ter alguma razão, muitas das coisas acontecem por um motivo que nem sempre é aparente mas que acaba por existir. De qualquer forma, também existe muita coisa que acontece sem motivo algum, ou seja eu estaria num meio termo, nem tudo é por acaso, nem existem motivos para tudo.

XC disse...

É inútil disser "estamos a fazer os possíveis".Precisamos de fazer o que é necessário.

Alberto Eggert disse...

Bem-vinda XC,
visitei o teu blog, achei-o muito pessoal, diferente. Dali uma inesperada dúvida: a Florbela Espanca terá sabido jogar xadrez?

Rini Luyks disse...

Renato, em relação ao assunto "Nada é por acaso" encontro-me numa posição algo intermédia: não sou muito racional, mas também não deixo influenciar a vida pelo oculto, pela astrologia, etc. Quanto a mim, a "Abelha" Maya estaria no desemprego (não gosto dessa criatura de qualquer maneira, pronto...).
Ouvi uma vez um vendedor do almanaque "Borda d'Água" gritar: "Previsões só no fim do ano!" É isso! Gosto de descobrir "coincidências" (e concordo com o Alberto que há muitas mais do que parece à primeira vista). Acho que estar atento a essas coincidências também desenvolve a intuição, importante em todas as áreas de decisões na vida, também no jogo de xadrez!

Caro XC, bem-vindo ao blogue. Já reparei que o seu blogue "XadrezCafé" é um antro de tentações (até algumas da autoria do meu conterrâneo Hieronymus Bosch), a entrada bem vigiada por uma gata a sério.
Gosto (e sou praticante) do máximo: "Fuja das tentações mas devagar para que elas te possam alcançar" (post 21 de Maio).