quarta-feira, 3 de março de 2010

GXA INVERNO 2010 resumo da 2ª



Após a 2ª ronda do torneio GXA Inverno 2010 são três os totalistas com 2 pontos - Paulo Barbosa, João Artur Santos e Vadim Maslov. Foi este último que engendrou mais uma surpresa neste certame, vencendo a um tenaz rival especialmente forte a jogar com pretas que é Paulo Cruz, o nosso universal 1º-2º-3º-4º tabuleiro nas competições oficias.
Pode-se ver, então, que o torneio já arrancou com tudo desde as primeiras rondas, vindo a comprovar aquilo de que a diferença de Elo ainda não é nenhuma garantia para conseguir a vitória.
Hoje é a 3ª ronda, com o interessante encontro entre dois dos três ponteiros, o jogador da Tap, João Santos e o cabeça de série, alekhinista, Paulo Barbosa, no 1º tabuleiro. No 2º defronta-se o jovem valor da Palma e Arredores, Pedro Rego e o até agora surpreendente Vadim Maslov. Continuará...

4 comentários:

Rini Luyks disse...

De facto nos 7 primeiros tabuleiros da 2ª ronda só vejo dois resultados "esperados", isto promete!
Só vou poder visitar o torneio na última ronda, dia 12, mas acho que vou estar lá para presenciar o desfecho emocionante!
De resto, Alberto, acho louvável a tua initiativa de tratar dos boletins do torneio, tornando este blogue (temporariamente?) (semi-)oficial...
Até meados deste mês estou em viagem com vários trabalhos, vou limitar-me a fazer uns posts com imagens sem escrita (mas é muito difícil ficar calado), como tu também fazes em tempos aflitivos de trabalho :)!
A imagem do post a seguir vem duma colecção russa (!), chamada "vesyolie kartinki", "imagens giras" (deves conhecer).
Já deu para perceber no passado deste blogue que as interpretações eslavas e latinas da palavrinha "giro" nem sempre coincidem. Ainda bem, assim ficamos com pica!

Albertus disse...

Exacto, Rini!
Queria só "humanizar" uma informação que também podia-se simplesmente consultar no chess-results, mas como se trata do nosso Grupo, achei-o pertinente, não sem antes perguntar-lhe ao Solha: "Ó Amadeu, o que é que acha se eu faço umas notas informativas sobre o torneio do GXA?
- És livre para fazer o que quiseres, -replicou-me o sábio Buda Alekhinista- E agregou logo: "Quase...":))
Na verdade, aquilo do "quase" não foi pronunciado, mas pairou no ar chuvoso do maravilhosamente chuvoso inverno português.
E cá estou, a fazer umas linhas de principiante jornalístico, mas muito a gosto, pois sei que isso também faz com que o interesse pelo Xadrez esteja mais concentrado e interactivo.
Quanto às "vesyolie kartinki" eu o traduziria talvez à maneira brasileira como "as pinturinhas divertidas", mas como é bem sabido:
"Traduttore, traditore".

Paulo disse...

Boa ideia esta, Alberto. Fez-me ficar com vontade de relatar a minha prestação até à data, embora, não sinta que esteja a jogar grande coisa.

Na primeira ronda ganhei mas não fiquei convencido. Penso que deveria haver maneiras mais sólidas de tirar partido da posição. Como seguiu, acho que o Cadeirinhas poderia ter aplicado mais pressão no peão que me deu por forma a tentar recuperá-lo ou mesmo considerar o sacrificio de um segundo peão para abrir a ala de rei. Não optou por nenhum desses planos e deixou-me consolidar...

Na segunda sessão, o Maslov fez um lance de que ficou orgulhoso mas que eu considero que me resolve os problemas da abertura. Contudo, optei por correr alguns riscos e tentar agarrar-me a um peão que ele me ofereceu (sabem como é que eu sou...). Depressa fiquei em posição desesperada. Ainda procurei algum contrajogo mas ele não deu hipóteses. :(

Hoje, acho que estive melhor e joguei mais de acordo com a minha forma de ser e com as caracteristicas do Aguiar. Não me importei de dar a iniciativa a um adversário que, do meu ponto de vista, prefere defender. Acho que a minha posição esteve presa pelos arames mas a verdade é que fui conseguindo descobrir os lances que impediram as peças dele de entrar e ao mesmo tempo fui-lhe restringindo a sua mobilidade. No final, o caçador virou presa e o seu Rei, que parecia seguro, acabou em sérios apuros. Ele acha que eu estive muito mal, eu não estou certo disso e considero a posição demasiado confusa podendo pender para qualquer dos lados. Talvez ele tenha razão. O Fritz dá-lhe uma vantagem de 1 a 2 pontos até ao lance 31, mas, hei, já estou habituado a isso. Qual é a abertura que eu jogo que não dá vantagem aos meus adversários? O Mestre Fritz nunca me compreenderá... lol

Albertus disse...

Caro Paulo,
é grato ter semelhante reporte de "primeira mão", dinamizando considerávelmente a informação já previamente fornecida. É sempre útil que hajam comentários como este, pelo simples facto de sabermos que detrás duns "resultados-escaquísticos" há pessoas de carne e ósso (e espírito!), dispostos a pescar nas turvas aguas, coisa que para o GM Fritz é apenas uma piscinazita de criadouro, e para o tubarão do Rybka, um simples Aquário...:)