domingo, 30 de janeiro de 2011

GX Alekhine na Marinha Grande

O Sport Operário Marinhense recebeu mais uma vez o Campeonato Nacional de Semi-rápidas por Equipas, já é um local de peregrinação para xadrezistas (foto acima): foi a 22ª edição do Memorial Dr. José Varedas e durante a prova a organização anunciou que estão garantidas pelo menos mais três edições deste torneio, facto pelo qual merece os parabéns.
O torneio correu de modo impecável graças à colaboração entre organização, arbitragem (Carlos Dias) e equipa de "Xadrez 64" (Paulo Rocha, Dominic Cross) que processou os resultados com grande celeridade.
A priori sabiamos que seria muito difícil para o GX Alekhine repetir a proeza do ano passado (um incrível terceiro lugar, http://ogatodoalekhine.blogspot.com/2010_01_01_archive.html), ainda mais porque desta vez a equipa tinha apenas quatro jogadores a disputar então todas as sete rondas (ao ritmo de 30 minutos por partida por jogador).
Começámos bem com duas vitórias folgadas: 4-0 contra Profigaia Chess Clube e 3-1 contra Clube dos Galitos, um óptimo resultado contra um clube que nesta época vai jogar na 1ª divisão: Alberto Eggert venceu Francisco Castro, Paulo Cruz perdeu contra Gustavo Pires, eu e Rui Marques batemos os dois jovens talentos João Andias e Henrique Aguiar.
O almoço a seguir (peixe, pernil, grelhados mistos) foi vigoroso e ainda bem, pois à tarde esperavam-nos mais cinco duras sessões.
De regresso ao local da prova o vosso repórter, sempre atento, não pude deixar de reparar numa cena curiosa...(clicar para ampliar)
...uma sessão fotográfica de moda com uma mini-equipa toda inoperante por causa da chuva: o fotógrafo com a máquina pendurada, o seu assistente com o disco reflector/difusor pousado no chão (objecto inútil, não havia luz a reflectir nem difundir) e last but not least a menina-modelo, coitada, em mini-saia de fazenda finíssima, encostada à parede a tremer de frio e com uma cara de (como dizemos na Holanda com a nossa crueza habitual) "half verzopen kat", gato meio-afogado. Uma situação que merecia sem dúvida uma cobertura mais profunda, mas hélas, já soou a voz do árbitro: início da 3ª ronda.
Calhou-nos a equipa de ACR Vale de Cambra, ou seja logo os campeões do ano passado e os nossos adversários na Taça de Portugal no próximo sábado!
A derrota era esperada e aconteceu, mas primeiro houve um pequeno momento de glória pessoal: consegui empatar com Fernando Ribeiro (Campeão Nacional em 1997) num "Pseudo Benkö Gambit": 1. d4 - Cf6; 2. c4 - g6; 3. Cc3 - Bg7; 4. e4 - d6; 5. f4 - 0-0: 6. Cf3 - c5; 7. d5 - b5!?; 8. cxb5 - a6; 9. a4 - axb5; 10. Bxb5 - Ba6; 11. Bd2! - Bxb5; 12. axb5 e empate poucas jogadas depois. Consultando em casa a "bíblia" de Anatoli Vaisser sobre o Four Pawns Attack descobri que as brancas têm boas perspectivas na variante: 12...Txa1 (Ribeiro jogou 12...Cbd7); 13. Dxa1 - Db6; 14. 0-0 - Cbd7; 15. De1!, mas um curto empate contra um adversário forte, logo depois do almoço sabe sempre bem como sobremesa...
Rui Marquês e Paulo Cruz perderam sem grandes hipóteses contra Paulo Felizes e Diogo Fernando, mas no primeiro tabuleiro Alberto Eggert estava a causar sensação contra o nº 1 de Portugal Luís Galego, uma partida que podia ter sido a "Pérola da Marinha Grande" (como por exemplo a "Pérola de Zandvoort", Euwe-Alekhine 1935, http://fr.wikipedia.org/wiki/Perle_de_Zandvoort, http://fr.wikipedia.org/wiki/Perle_de_Zandvoort ou a "Pérola de Wijk aan Zee", Kasparov-Topalov 1999, http://www.chessgames.com/perl/chessgame?gid=1011478).
Infelizmente num momento crucial do jogo Alberto bloqueou e gastou demasiado tempo para conseguir concretizar a sua grande vantagem. Mesmo assim, a partida merece na minha opinião um post aparte (e esperemos com os comentários do nosso colega).

GX Alekhine - ACR Vale de Cambra

Com 7,5 pontos em 3 rondas estávamos no meio da tabela e infelizmente ficámos lá até ao fim do torneio... O empate 2-2 a seguir contra Clube EDP ainda foi um resultado mais ou menos (Alberto empatou com Casanova, Paulo perdeu contra Morais, ganhei ao Lavrador, Rui empatou com Júlio Santos), mas a seguir largámos vários (meios) pontos contra equipas acessíveis como CX Moita (2-2) e Ferroviários Barreiro (2,5-1,5, já sem os Ulyanovskyys).
Um emparceiramento favorável na ultima ronda ainda podia ter proporcionado uma classificação razoável, mas calhou-nos AA Coimbra com Kevin Spragget...
O meu adversário Dominic Cross e o seu vizinho-colega de equipa espanhol Perez Negro começaram logo a amolecer o ambiente com uma pequena conversa informal sobre a minha antiga banda Kumpania Algazarra e empatámos a seguir sem grande luta (pelo contrário, o empate combativo de Paulo Cruz contra o espanhol foi um bom resultado), Alberto perdeu contra o gigante Spraggett e Rui também, inesperadamente contra um certo Silva e Sousa.
No pódio ficaram: 1. AX Gaia 23,5; 2. GD Dias Ferreira 21; 3. ACR Vale de Cambra 19,5.
O GX Alekhine fez 15 em 24, resultados pessoais: Alberto 2,5 em 7, Paulo 3 em 7, Marinus 5 em 7, Rui 4,5 em 7. Paciência, não deu para mais...

Classificações e resultados pessoais em:
http://fpx.weebly.com/uploads/1/3/7/1/137131/final_ranking_list.pdf
http://fpx.weebly.com/uploads/1/3/7/1/137131/team_composition_with_points.pdf


...e (clicar para ampliar) depois dum torneio assim mais ou menos não houve arroz de pato para ninguém...

1 comentário:

Albertus disse...

Boas fotos, Rini!
Lá estou eu, a apanhar uma zurra...:)