quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Armageddon Blitz na Superfinal



00:01 - O árbitro: "Ian, vy gotovy? Sergey, vy gotovy? Pozhaluysta!" - "Ian, pronto? Sergey, pronto? Por favor (podem começar)!"

Desfecho mais dramático era difícilmente imaginável na Superfinal do campeonato da Rússia 2010.
Na última ronda Sergey Karjakin perdeu duma maneira incrível (26...Cxa3??, nervos provavelmente) contra Malakhov o que permitiu Ian Nepomniachtchi (empate com Vitiugov) igualá-lo no primeiro lugar. As duas partidas regulamentares de desempate (25 minutos + incremento) resultaram em dois empates (com Karjakin a permitir um xeque perpétuo na segunda partida em posição muito vantajosa) e logo a seguir veio a sempre terrível partida de "Armageddon Blitz" (6 minutos para as brancas, 5 minutos para as pretas, empate dá vitória às pretas).
Foi claramente um dia não para Karjakin, o sorteio deu a Nepomniachtchi o direito de escolher a cor e obviamente ele optou por jogar de pretas (sem dúvida uma vantagem neste nível de competição). De novo grande vantagem para Karjakin (18. Thg1! em vez de 18. Dd2, vídeo 03:40), mas no fim restou apenas um final de torre contra bispo com o rei negro a conseguir fugir para o canto seguro.
Ian Nepomniachtchi campeão da Rússia 2010!

Reportagens: - http://www.chessbase.com/newsdetail.asp?newsid=6893 - http://www.chessvibes.com/reports/first-russian-title-for-nepomniachtchi/#more-33152

6 comentários:

Albertus disse...

São os tempos que correm...

Albertus disse...

Se este jogo acontecesse há uns 60-70 anos, o resultado do mesmo talvez nos faria pensar numa complexa trama política (como naquele caso dos jogos decisivos perdidos por Keres contra o ascendente Botvinnik), pois o talentoso Karjakin até há pouco tempo era cidadão ucraniano, dali é que sairia a possível razão do seu insucesso neste último Campeonato russo (politicamente, era demasiado cedo para semelhante resultado...).
Mas não, seria muito raro que alguém aceitasse esta tão fraca teoria, porque os tempos são outros. Simplesmente, o Karjakin de repente jogou mal. Por sua vez, o oportunismo do Nepo floresceu a partir do mesmo momento, coisa que, por tratar-se de um jogo, não desmerece ao justo vencedor.
No entanto, não consigo ser demasiado objectivo, até porque se fosse por mim, tudo bem, aceitava ao esperto do Nepomniachtchii como finalista, se no lugar do Karjakin estivesse Ivanchuk...

Rini Luyks disse...

Em relação ao Nepo: tanto a fisionomia como o comportamento ao tabuleiro (sempre aquele baloiçar do corpo, da cabeça, veja o fragmento do vídeo entre 3:00 e 3:30, quando ele estava completamente perdido após 16. Cg5) fazem-me lembrar um jogador português que defrontei no Verão em Gaia (post 30 de Julho)... convenhamos: jogadas como 16...Dxg2 e 17...Bxe4 são barretes da primeira craveira!
Mas resultaram, chapéu Nepo!

Albertus disse...

Rini, tiveste um déjà vu?:))

Rini Luyks disse...

Pois, Alberto, refiro-me também ao post sobre o picanço barreteiro a pousar na oliveira "alea europaea carlos carolus"...
Mas penso que o caro Carolus não se importava nada de trocar a sua força com Nepomniachtchii...

Albertus disse...

Pois é Rini, a força acima dos 2700 Elo é um nepa, e o Nepo é uma prova disso.