quinta-feira, 21 de outubro de 2010

A neve branca da Rússia (1980) (Filme sobre o Alekhine - em russo)

Encontrei há pouo este filme feito ainda nos tempos da União Soviética (1980) que tenta, à maneira muito acorde àquele período político russo (politicamente correcta) contar sobre a parte mais trágica da vida do exilado campeão mundial Alexandr Alekhine

Filme inteiro http://io.ua/v85ff9c92b1a1db6944e0d74d586cce22

Quem quiser ver o filme com subtítulos, não me importava de o traduzir, é só questão de me facilitarem a parte técnica.

3 comentários:

Rini Luyks disse...

Ainda não vi o filme todo, mas obviamente fui logo à procura do fragmento sobre o 1º match contra o "nosso" Max Euwe.
Grande close-up do Gato do Alekhine no minuto 44!
Entre min. 45 e 50 aparece o match em Amsterdam. Não percebo tudo, mas parece-me que o filme pretende "vender" a ideia que Alekhine perdeu por consumo excessivo de álcool. Será!?

Albertus disse...

O filme é uma adaptação mais ou menos fiel do famoso livro do Kotov, que por certo foi quem o adaptou. Para além dos dados históricos inegáveis, a historia em si é um romance, com toda a liberdade que isso supõe. Quem o queira ver como um documentário, pode se desiludir.
Mas contudo, decidi postar esta película porque é simplesmente a única sobre Alekhine, ademais feito pelos seus compatriotas e seguidores, embora bastante tardios, jamais objectivos, mas sempre entusiastas (falo por exemplo do próprio Kotov que investigou e divulgou imenso sobre o 1º campeão mundial russo...)
Seria muito mais proveitoso, se lhe conseguíssemos colocar a legendagem...
Já lá verei como faço...
Sobre o tema do álcool, o filme é eloquente (ninguém pode negar que o grande Alexander consumia importantes quantidades do mesmo), mesmo assim, o próprio os autores do filme se encarregaram de pôr-lhe na boca as palavras esclarecedoras sobre o decurso do 1º match, onde o Alekhine diz que os últimos jogos conduzidos pelo Euwe foram totalmente superiores, a pesar de ele ter deixado de beber nessa última fase. Com isso, o mérito do grande Max ficou totalmente reconhecido.
Como disse no próprio post, o filme foi feito respeitando os códigos políticos, até porque o próprio Euwe, se não me engano, naltura do estreio era o presidente da FIDE em função...:)

Rini Luyks disse...

De facto, o próprio Alekhine mencionou mais tarde "excesso de confiança" como causa da sua derrota no 1º match contra Euwe em 1935 (e na verdade, no re-match dois anos mais tarde Euwe não teve hipótese).

Max Euwe era na altura professor de matemática num liceu de raparigas (e continou a sê-lo depois de ganhar o título).
Também teve mérito como escritor de livros de xadrez e mais tarde como presidente da FIDE (ele salvou in extremis o match Fischer-Spassky em 1972 com muita dipomacia).

A sua importância para a divulgação do xadrez na Holanda é enorme.