quinta-feira, 27 de maio de 2010

Xadrez de gigantones



Uma notícia da minha terra.
O meu antigo clube B.S.V. (sou sócio vitalício) da cidade de Bergen op Zoom, no Sul da Holanda, vai celebrar o seu 64º aniversário no próximo dia 26 de Junho. Até há pouco tempo estava com a ideia de estar presente, mais infelizmente e felizmente apareceu-me um trabalho de teatro com digressão em Portugal até finais de Julho.

Uma das actividades festivas vai ser uma partida de xadrez com um jogo de peças gigantes que estão a ser esculpidas por um artista regional com o nome apropriado Peter de Koning (Pedro o Rei!).
Quer dizer, esculpidos...De Koning é antes um lenhador artístico: escolheu como material velhas estacas (para amarrar barcos), feitas de um tipo de madeira tropical duríssima, por isso o trabalho é feito com ajuda duma serra de cadeia.
O artista conta que já gastou cinco correntes de aço e uma quantidade de gasolina, suficiente para cortar lenha para 25 anos.
O jogo está quase pronto, no início desta semana só faltavam os acabamentos dos reis e das rainhas, a seguir as peças ainda vão ser pintadas. O rei vai ter uma altura de três metros e meio, a peça mais levezinha é o peão: 70 quilos!!
Mas ninguém vai dar cabo das costas: as peças vão ter rodas.

6 comentários:

José Henrique Ribeiro disse...

Absolutamente espectacular! São estas ideias originais que têm enorme sucesso e agregam as pessoas em torno do xadrez de uma forma admirável. Lembro-me de uma cidade espanhola (Toledo - cidade mais antiga na Europa) onde estive várias vezes ao longo de alguns anos e que tem essencialmente como comércio para turistas, tabuleiros e peças de xadrez, espadas, várias armas medievais e armaduras de época. Relativamente ás peças têm vários motivos como D. Quixote ou peças talhadas em madeira, ferro ou cerâmica. Lembro-me sempre como algo assim poderia ser feito em Sintra em alusão a D. Afonso Henriques e ao castelo dos mouros, pois faz parte da nossa história ou mesmo a venda nos bazares da vila. No fundo, nuestros hermanos, há muito compreenderam que o conceito de turismo não envolve só o golf como modalidade, mas outros desportos e eventos, nomeadamente o xadrez aliado á história do país e ao turismo desportivo para os diversos adeptos terem um roteiro de eventos e organizarem as suas férias em função da oferta.

Rini Luyks disse...

Completamente de acordo, caro José Henrique!

Albertus disse...

Muito interessante, Marinus!
Eu também concordo com o Sr José Henrique Ribeiro. Que pena que não possas ir ao teu clube que te viu crescer...
Já agora, só por curiosidade, o que é têm pensado lá para fazer nesse tão memorável dia?

Rini Luyks disse...

Olha Alberto, isso posso dizer!!
Há meses propus à direcção do meu antigo clube holandês convidar a bela xadrezista e apresentadora Bianca Mühren (ver os posts sobre o torneio Corus 2010 no site Chessvibes em Janeiro) para participar na festa e jogar essa partida com as peças gigantes contra um outro convidado o MI Hans Böhm (conhecido como "Mr. Chess" na televisão holandesa). Até me disponibilizei para arrastar as peças da bela Bianca sobre o tabuleiro (também) gigante. Infelizmente a minha proposta foi rejeitada: querem uma figura pública mais conhecida...
Será então uma partida entre o Sr. Böhm e um bobo qualquer que não percebe nada de xadrez e vai ser ajudado pelos jogadores do clube (palpite meu, posso estar enganado).
Também vai haver um jantar volante e uma simultânea.
O dia 26 de Junho foi escolhido por coincidir com o Dia de Teatro de Rua na cidade.
Realmente é uma pena eu não ir...

Albertus disse...

Marinus, sei que um dos teus amores é o teatro, e ainda por cima, é eventualmente o que cada tanto te da de comer, mas diz-me se me engano, aquilo de que não tenham aceite a tua proposta de convidar a menina e MI Bianca Mühren para participar da festa do Aniversário do teu primeiro Clube, terá sido parte da razão pela qual finalmente te concentraste só no Teatro?
Olha que a malta do GXA, embora não se pronunciou, seguramente te acompanhava para...

Rini Luyks disse...

Albertus, a minha cidade no sul da Holanda ainda sofre as consequências dum catolicismo severo, imposto durante muitos séculos.
Junta-se a isso o facto (já muitas vezes por mim referido) de os holandeses serem um povo pouco romântico e está tudo explicado.
O que seria mais bonito do que uma partida ao ar livre entre a bela Bianca (24 anos, partilho com ela o dia de aniversário... só que tenho mais meio tabuleiro de anos...) e o charmoso "Mr. Chess" que fez 60 anos durante o torneio Corus (e foi lá entrevistado pela Bianca!), mas mantém os seus plenos poderes de sedução?
É de facto imperdoável...