sábado, 27 de fevereiro de 2010

Uma verdadeira partitura...

2 comentários:

Rini Luyks disse...

Fica a questão: o que foi mais espantoso? O compositor que viu a partitura ou os passarinhos no seu comportamento colectivo?
Ou ainda o encontro dos dois fenómenos!?
Mais uma NEPA (nada é por acaso)?

Albertus disse...

Tudo aqui é igualmente de espantoso, especialmente os comentários que revelam que ainda há almas sensíveis, e para nada indiferentes!