segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Taça: GX Alekhine vence em Alpiarça

Anteontem o GX Alekhine defrontou na segunda ronda da Taça a Casa do Xadrez em Alpiarça, um regresso ao local onde tínhamos travado combates em 2009 na 2ª Divisão e mais tarde num encontro amigável com convívio a condizer: http://ogatodoalekhine.blogspot.com/2009/09/casa-do-xadrez-gx-alekhine-em-alpiarca.html
http://casadoxadrez.blogspot.com/2009/09/i-match-casa-do-xadrez-vs-alekhine.html

(foto: http://casadoxadrez.blogspot.com/2012/02/taca-2-ronda-casa-do-xadrez-de-alpiarca.html

A equipa da Casa tem fama de experientes "gambiteiros", como vamos ver nas partidas seguintes, mas neste encontro ninguém bateu o nosso capitão Dinis Lameira. Contra Luís António ele tinha um meio jogo sem damas aparentemente calmo e equilibrado, quando de repente reparámos que as peças estavam a ser arrumadas: "O que aconteceu?" perguntei em voz baixa ao vizinho Paulo Cruz, "Levámos um mate!", disse Paulo (bonito o espirito de equipa: ganhamos juntos, mas também levamos mate juntos): Dinis tinha involuntariamente "gambitado" o próprio Rei no meio do tabuleiro, uma "morte súbita" inesperada (e a primeira derrota do Dinis desde que entrou no nosso clube, por isso: está perdoado!)...



...mas entretanto o mesmo Paulo Cruz (de pretas) já estava a bom caminho de igualar o score contra Bruno Moreira, após uma abertura curiosa: 1. e4 - d6; 2. d4 - Cf6; 3. Bc4!? - Cbd7; 4. Be3 - e5; 5. c3? - Cxe4; 6. Cf3 - c6!; 7. dxe5 - dxe5;

8. Bxf7+ a notar que com os peões em c2 e c7 este lance daria a vitória às brancas, mas agora é um sacrifício desesperado - Rxf7; 9. Cxe5+ - Re7; 10. Dh5 - De8; 11. Dh4+ - Cef6; 12. Cd3 - Dh5 com consolidação e vitória fácil das pretas.

Pedro Vinagre jogou contra mim uma variante do Gambito Budapeste: 1. d4 - Cf6; 2. c4 - e5; 3. dxe5 - Cg4; 4. Bf4 - Bb4+; 5. Cd2 - d6!?; 6. exd6 - Df6; 7. Ch3 - Cxf2; 8. Rxf2 - Bxh3; 9. g3 - Bxf1; 10. Txf1 - Dd4+; 11. Rg2 - Bxd6...

...e aqui comecei a torturar os velhos neurónios, mas não me lembrei da partida que joguei em 2004 contra Marco Oliveira (encontro CR Feijó - CCR Coruchéus...): 12. Db3! - 0-0 (12...b6??; 13. Df3! + -; 12...Cd7?; 13. Be3 - De5; 14. c5! + -); 13. Dxb7 - Cd7, 14. Cf3 - Db6? (melhor 14...Df6); 15. Dxb6 - Cxb6; 16. Bxd6 - cxd6; 17. b3 - Te8; 18. Tad1!? - Txe2+; 19. Tf2 - Txf2+; 20. Rxf2 - d5 (ou 20...Td8; 21. c5); 21. c5 com grande vantagem branca, partida que até analisei no clube com o nosso treinador Rui Dâmaso e que enviei depois para New in Chess - Yearbook 72 - pág. 12), mas...não me lembrei...joguei o insípido 12. Cf3?! e após várias trocas de peças resultou um final de torres até algo inferior para as brancas, mas sempre dentro das margens da igualdade, segundo Fritz.
Posição final de empate:


E finalmente, no combate decisivo no primeiro tabuleiro Alberto Eggert estava bem preparado para o esperado Gambito Morra de Carlos Nascimento: 1. e4 - c5; Cf3 - Cc6; d4 - cxd4; 4. c3 - dxc3; 5. Cxc3 - d6; 6. Bc4 - Be7; 7. 0-0 - Cf6; 8. De2 - Cf6; 9. Td1 - e5; 10. h3 - 0-0; 11. Be3 - Be6; 12. Bb5 - Bd7; 13. Bg5 - Db8;...

...e nesta posição Nascimento fez um salto menos feliz com 14. Cd5?! - Cxd5; 15. cxd5 - Cd4; 16. Cxd4 - melhor 16. Txd4 - Bxb5 (mas não 16...Bxg5?; 17. Bxd7 - exd4; 18. Cxg5 - Dd8; 21. Dg4 + -); 17. Dxb5 - Bxg5; 18. Tb4 com hipóteses de salvação (Fritz) - Bxb5; 17. Cxb5 - Bxg5 e após 18. Dg4 - Bh6; 19. Dh5 - a6; 20. Cc3 - f5 a iniciativa das pretas foi decisiva (0-1, 31).

E assim passámos à eliminatória seguinte!

7 comentários:

Rini Luyks disse...

Na próxima ronda com alguma sorte ainda podemos apanhar um adversário acessível.. grande surpresa a eliminação do FC Barreirense com mais 250 pontos Elo nos tabuleiros do que a TAP.
Dia não para os Ulyanovskyys...

Albertus disse...

Mestre Rini,
sempre a cumprir com essa tarefa de partilhar os não muito numerosos factos do nosso convívio xadrezeiro,
coisa que a mim ultimamente me está a custar fazer.
Tudo muito esclarecedor quanto às análises, excepto o da minha "boa" preparação: 50 minutos para fazer o 12º lance, Mamma mia, ganda ferrugem mental!!!
Já agora, a tua Dama não foi a b3, justo no mesmo número de movida... Curiosidades, ne...:)
Um caso para consultar com o mestre FS....:)

Albertus disse...

Afinal, aquela Th2 que eu disse, é muito mais passivo do que que jogaste, Rini (Td8!). Fiz umas jogadas contra o Fritz e...pufff, ainda consegui piorar rapidamente a posição...

Rini Luyks disse...

Olha Alberto, então pelo menos essa decisão foi acertada, de resto: "Porca miséria", podem começar a chamar-me "mestrinho nacional" (uma vez que o título não se perde, independentemente das asneiras...), tal como massa Nacional, queijo nacional (queijo de Azeitão, muito bom!)...

Rini Luyks disse...

..e quanto ao 12º lance:
mais vale pensar 50 minutos e fazer o lance certo do que não pensar 5 e fazer outro...

Albertus disse...

Uyyy, essa última dói...:)
Já agora, essencialmente, "...mas vale pensar..."
Agora, quanto e como, talvez seja mais individual a coisa.
Vê-lá que, dito isto assim, a questão é:
"O raciocínio. Como saber raciocinar eficientemente?" Parece um título tirado dum livrinho daqueles...
Melhor seria:
"Pensar bem e rápido: qual o método?"
Ou directamente:
"Como se tornar rico, sem trabalhar?"
Dassss... estou a chegar muito longe!... Já um clássico russo, o audacíssimo Griboiedov http://pt.wikipedia.org/wiki/Alexandr_Griboiedov
escreveu um livro inteiro sobre isso, que em inglês se intitula:
" Woe from Wit "

Anónimo disse...

Estou velho, sem ritmo competitivo e (ainda mais) fora de forma: Tive de ir a uma base de dados saber porque não se podia fazer 3...Cxe4 no jogo do Paulo Cruz!

O que achei curioso é que todos pontuaram no seu estilo:

O Paulo já nem precisa de procurar complicações táticas em aberturas duvidosas, os adversários encarregam-se de lhe oferecer a abertura duvidosa!

Rini vai sempre navegando em águas conhecidas até se acabar a bussúla ou o RAM da memória, aí apela-se ao pragmatismo e ao bom senso.

Alberto vai capitalizando o potencial das posições dinâmicas, assumindo os riscos de viver sob o fio da navalha, normalmente com bons resultados práticos.

Dinis vai aplicando o seu método analitico e metodico até se dar o "crash" do adversário mas, desta vez, houve um "bug" (foi a exceção à regra, mas tambem eu disse os que pontuaram...)

Grande resultado da TAP na verdade, mas é uma equipa totalmente remodelada.

Dervich