domingo, 19 de setembro de 2010

Anti-problema!?


Ao arrumar a casa deparei-me com uma folha solta duma revista espanhola (já não sei qual). Encontrei a folha em Setembro 1987 algures em Espanha durante uma viagem de autocarro Lisboa-Lyon, uma viagem que fiz quinze vezes entre 1984 e 2002, a caminho das festas das vindimas no Beaujolais.

Na coluna "Ajedrez para todos" aparece o diagram aqui acima, um "problema" do norte-americano William Anthony Shinkman (1847-1933). Pergunta simples: mate em dois.
Pergunta mais invulgar: quantas soluções existem?

Junto com a folha encontrei também uma cópia da carta que escrevi, ainda durante a viagem no autocarro, ao conhecido escritor holandês, mestre e coleccionador de curiosidades de xadrez Tim Krabbé (http://www.xs4all.nl/~timkr/chess/chess.html ), irmão do actor de Hollywood Jeroen Krabbé.
Eu pensava que Tim (que conheci na Holanda nos meus tempos de estudante nos anos '70) podia estar interessado no assunto, mas ele nunca respondeu.
Se calhar vou fazer uma nova tentativa agora através do site dele!

(Aparte: no início dos anos '90 Tim Krabbé ficou rico quando o seu livro "Het gouden ei" foi adaptado para cinema em Hollywood no filme "The Vanishing" (1993, com Jeff Bridges, Kiefer Sutherland, Sandra Bullock), budget 20 milhões de dólares!
No entanto, este filme foi um remake do filme holandês/francês "Spoorloos/L'homme qui voulait savoir" (1988), do mesmo realizador holandês George Sluizer, com um budget dez vezes inferior, mas muito mais aclamado pela crítica.
É que na versão americana existe um "happy ending" que não vem nem no livro nem na versão original!
Eu vi "Spoorloos" em Lisboa, houve pessoas que sairam da sala bastante mal dispostas...
O leitor interessado já tem agora umas pistas para "googlar"!)

Quanto ao "anti-problema": alguém vê mais de 93 soluções!?

8 comentários:

RFM disse...

Pelo que me parece todas as jogadas legais das brancas dao mate em 2.

-- Rui

Paulo disse...

Pois, também 'só' vi 93 lol

@Rui: Nem todas. Há meia dúzia que afogam.

Rini Luyks disse...

Eu só vejo dois terços de meia dúzia a afogar, Paulo: 1. Bd4, Dd4, De5 e Dg6...;)
Interessante 1. Df6!? - gxf6;
2. Cd6 - Rg7; 3. h8D+ é mate em 5, mas eu vejo um mate em 4!

Rini Luyks disse...

O exercício é esquisito, mas afinal vejo agora após 1. Df6 - gxf6 um mate em três com 2. Cg5! e 55 mates em quatro com 2. Ce5, certo Paulo!? :)

Paulo disse...

Sim, era isso que eu queria dizer. Disse "meia dúzia" no sentido de "alguns, poucos lances". Mais exactamente, quatro que afogam e um que não é mate em 2. Falhei por pouco mas é uma expressão usual em português.

E eu só vejo 54 mates na linha do 2.Ce5. e3,e4,Bd4 e Te4 não são solução...

Rini Luyks disse...

O.K. Paulo, eu sabia da "meia dúzia", por isso o ;).
De resto, fica provado que dois vêem mais do que um!
Na "linha louca" 1. Df6 - gxf6; 2. Ce5 - fxe5 eu estupidamente não exclui as jogadas de peão 3. e3 e 3. e4, tu se calhar não reparaste em 3. Td4 - e4!?
Haverá então 53 mates?
Vou contar:
- caso especial: 3. Ta8 possibilita 6 mates a descoberto pelo Bg8, os outros mates são todos dados por 4. Bf2-d4, dos quais:
- 12 após uma jogada da Ta4;
- 12 após uma jogada da Th1;
- 8 após uma jogada do Rb7;
- 8 após uma jogada do Bf2;
- 7 após uma jogada de peão;
- Cf5 não pode jogar.
(e como referido o Bg8 só pode dar mate depois de 3. Ta8).
53 mates, certo?

Paulo disse...

Certo. Contabilizei Td4 mas esqueci-me que isto não são Damas... lol

53, então.

Rini Luyks disse...

Desta vez o escritor/xadrezista Tim Krabbé respondeu! (enviei o problema para o site dele, mencionado no post).
Ele já conhecia a posição, mais: disse que o compositor Shinkman tinha mais records improváveis, entre os quais um mate ajudado de 418 lances! (este gostava de ver...).