sábado, 7 de janeiro de 2012

Taça: GX Alekhine 3 - GX Peões de Alverca 1

Na primeira eliminatória da Taça de Portugal 2012 logo um encontro entre velhos rivais.
O resultado não espelha as dificuldades que o GXA sentiu contra a equipa alverquense, constituida (surpreendentemente) por João Rebelo e três ilustres veteranos.

No quarto tabuleiro Abílio Martins e Carlos Aguiar pareciam jogar uma partida Defesa Índia de Rei em ritmo de blitz: em poucos minutos produziram vinte e tal lances. Aguiar conseguiu rapidamente um ataque com triplicação das peças pesadas na coluna g e mate a seguir.
Infelizmente essa foi a única boa notícia alekhinista para já.

No segundo tabuleiro o seu servidor jogou contra o imprevisível matador Manuel Rocha uma Defesa Francesa, Variante de Avanço com 6...Ch6!?, a minha última partida oficial com esta variante foi contra Renato Vasconcellos na Batalha dos Mestres 2002...e isso notou-se logo na abertura: 1. e4 - e6; 2. d4 - d5; 3. e5 - c5; 4. c3 - Cc6; 5. Cf3 - Db6; 6. a3 - Ch6; 7. b4 - cxd4; 8. cxd4 - Cf5; 9. Be3 - f6; 10. exf6 - gxf6; 11. Cc3 - Cxe3; 12. fxe3


12...a5?! uma perda de tempo, normal era 12...Bh6, por exemplo 13. b5? - Ce7; 14. De2 - 0-0 com vantagem negra, na partida Khamrakulov - Matamoros (2004) o uzbeco jogou 15. g4 e Matamoros analisa: 15...e5!; 16. g5 - Bg7; 17. gxf6 - Dxf6; 18. Cxe5 - Dh4+; 19. Rd1 - Bxe5; 20. dxe5 - Bg4; 21. Tg1 - Txf1+! 0-1; 13. b5 - Ce7; 14. Bd3 - Bh6? muito melhor 14...e5 ou 14...Tg8; agora o bispo em d3 faz toda a diferença!; 15. Ca4 - Dd6; 16. De2? aqui parece muito forte 16. Ce5!, pois 16...fxe5; 17. Dh5+ - Re7; 18. Tf1 ou 17...Rd7; 18. Tc1 dá um ataque terrível e 16...0-0; 17 Dh5 também não promete nada de bom para as pretas... - e5; 17. e4 - dxe4, 18. Bxe4 - exd4; 19. Cxd4?? "uma alucinação" diria Jan Timman, eu contava com 19. Td1, por exemplo 19...f5; 20. Bc2 - Bg7; 21. 0-0 com igualdade (Fritz) - Dxd4; 20. Dh5+ - Cg6; 21. Bxg6+ - hxg6; 22. Dxg6+ - Rf8; 23. Ta2 - Bg4; 24. h3 - Te8+; 25. Rf1 - Df4+: 26. Tf2 - Dc1 mate 0-1 , escapado por uma unha negra!

Entretanto no primeiro tabuleiro Alberto Eggert e João Rebelo jogaram a Variante Neo-Steinitz da Defesa Ruy Lopez, a ver se consigo reconstituir a abertura, acho que foi assim (Alberto?):
1. e4 - e5: Cf3 - Cc6; 3. Bb5 - a6; 4. Ba4 - d6; 5. c3 - Bg4; 6. h3 - Bd7; 7. d3 - Cf6; 8. Cbd2 - Be7; 9. Cf1 - 0-0; 10. g4 - h6; 11. g5 - hxg5; 12. Cxg5 - d5; 13. Cg3 - Cxe4; 14. C3xe4 - dxe4; 15. Dh5...


Aqui segundo Fritz a única defesa para as pretas era 15...Bf5; uma variante fantástica: 16. Cxf7 - Txf7; 17. Bb3 - g6; 18. Tg1 - Cd4; 19. cxd4 - Bb4+; 20. Bd2 - Bxd2+; 21. Rxd2 - Dxd4; 22. Txg6+ - hxg6; 23. Dxg6+ - Rh8; 24. Bxf7 - Dxf2+ com xeque perpétuo ou 20. Rf1 - Df6; 21. Bxf7+ - Dxf7; 22. Be3 - exd3; 23. dxe5 - d2 com igualdade.
No entanto, as pretas jogaram: 15...Bxg5?; 16. Bxg5 - De8?; e agora Alberto jogou: 17. Bf6? Pena, a ideia é boa, mas primeiro 17. Bxc6! - Bxc6 (ou 17...f6; 18. Bd5+) eliminava um defensor importante e após 18. Bf6! as pretas não têm melhor do que 18...De6; 19. Bxg7! - Rxg7; 20. Tg1+ - Dg6; 21. Dxe5+ e as brancas ganham. Agora as pretas igualaram com 17...Ce7... e até ganharam quando Alberto insistiu no ataque com 18. Bb3 - Be6; 19. Bxg7?! - Rxg7; 20. Dxe5+ com muitas complicações para a fase de apuros de tempo.
Depois da partida analisámos ainda 16...Ce7 como defesa possível, mas aqui Fritz diz 17. Bb3 - Be6; 18. Dh4 -Te8; 19. Bxe6 - Bxe6; 20. dxe4 - Dd6; 21. Td1 + - ou 18...Cf5; 19. Bxd8 - Cxh4; 20. Bxh4 + -.

Assim o suspense voltou, pois no terceiro tabuleiro "good old" veterano Augusto Dias tinha grande vantagem contra o campeão em título do GXA Dinis Lameira, mas no final Dinis conseguiu criar um peão passado imparável, assegurando a nossa passagem à próxima eliminatória.

1 comentário:

Albertus disse...

Excelente trabalho, Rini!
Em todo o sentido da palavra.
De facto, ainda não estás tão velho como as vezes dizes, grande esperança para aqueles que pensam que depois dos 50 está tudo a acabar!
Boa semana e bons "Bigodes"!!!